Área restrita Educandos e Pais

Clique aqui para acessar!

    Tarefas do Educando   

      Materiais de Apoio     


Área restrita Educadores

Esqueci minha senha?

Notícias

Ver lista completa

Redação - EM

  • Compartilhar:
A partir dos textos "Dance como se ninguém estivesse olhando" e "Filhos são como navios", tendo como objetivo desenvolver a criatividade artística e literária e escrever com coerência e coesão, os alunos da 2ª e 3ª série do Ensino Médio elaboraram uma dissertação durante a aula de Produção de Texto.
Seguem as Redações que se destacaram entre as demais!
 

Nome: Giulia R Abrahão  2ª série do Ensino Médio

O incompreendido

            Existem inúmeras maneiras pelas quais podemos alcançar a felicidade plena, no entanto, a mesma não pode ser descrita em meras palavras, pois encontra-se muito além de nossa compreensão.

            Cada indivíduo enxerga esse pequeno sentimento ou estado de espírito de sua maneira, para alguns, os mais afortunados, nasceram sendo capazes de descrevê-la nos mínimos detalhes e com as mais belas palavras; para outros, a felicidade é uma incógnita, inteligível, inexplicável e inatingível.

            Homem algum chegou a ser completamente feliz, mas todos aspiram a vê-lo obscuramente alguns, outros mais claramente, cada qual como pode.


Nome: Giovanna Guedes 2ª série do Ensino Médio

Ser feliz é ser você

            Estou em todo lugar, a todo momento, em todo estado, ando por todas as ruas, os bairros, os centros. Muitos me veem como um sentimento; outros como apenas um nome, entretanto, quem está certo? Quem sou eu?

            A questão é que não existe uma definição concreta como mostram os dicionários e os livros dos mais sábios, portanto não há uma opinião errônea sobre mim. Eu sou e ponto.

            Gostaria de controlar o mundo, porém eu e vocês estamos aqui sentados em um carrinho de uma montanha russa chamada vida - ora embaixo, ora em cima – onde nem tudo tem controle (mas a tudo se dá um jeito) nunca devemos perder o foco e sempre procurar o melhor de nós, buscar o sentimento mais bonito e deixá-lo transbordar.

            Estarei disposta a tê-los a todo tempo, nem que seja sua única companhia, apenas me dê a mão e caminhe como e onde quiser. Acreditem, posso ser sua melhor amiga. Prazer, eu me chamo Felicidade.


Nome: Giovanna Bussaglia 2ª série do Ensino Médio

Quando iremos encontrar a felicidade?

            Passamos a vida toda em busca da felicidade e ansiando para que o momento em que a encontraremos chegue o mais rápido possível. Imaginamos como a nossa vida será melhor quando formos felizes e como tudo será mais fácil.

            Mas será que a felicidade realmente existe? Ficamos o tempo todo pensando nela e em como encontrá-la, porém, acabamos esquecendo de que a mesma não existe, apenas momentos felizes em nossa vida, somente um estado de espírito. Devemos aproveitar mais os pequenos momentos alegres em nossas vidas, aproveitar mais, amar mais e sorrir mais se pararmos de idealizar a felicidade como algo grandioso e muito difícil de alcançar, deixamos as pequenas oportunidades que temos de se sentir feliz, passarem despercebidas.

            Nós não conseguiremos encontrar a “Felicidade” no momento em que casarmos, tivermos filhos ou até mesmo estivermos no emprego dos sonhos.  Porque, como já foi dito, ela é apenas um estado de espírito que alcançamos nos momentos mais simples da nossa vida. Não é preciso luxo ou objetos caros para ser feliz, apenas a simplicidade e a companhia das pessoas que amamos.


Nome: Karoline Assunção 2ª série do Ensino Médio

Dúvidas da felicidade

            Há muito rótulos na vida, um deles é a bendita da felicidade.

            Porque temos que ser feliz? São apenas estados de espírito, não é mesmo? Porque temos que viver sorrindo demonstrando alegria para as pessoas? E também por que apenas um estado de espírito afeta os outros? Fico me fazendo essas perguntas constantemente e ainda não achei suas respostas, só descobri que a felicidade não existe, o que existe mesmo são os momentos felizes.

            Creio que nós temos que decidir se queremos a felicidade ou não, no entanto, há momentos em que não conseguimos manter a luz, então somos dominados pela escuridão. Nunca vou entender a vida, a qual insiste em nos querer feliz mas que ainda deixa a tristeza aflorar.

            A felicidade é complicada, temos que estar preparados para entendê-la.


Nome: Rayssa P. Marins 2ª série do Ensino Médio

A proeza de ser feliz

            Não existe tutorial que ensine os devidos passos para conquistar o sentimento tão cobiçado que é a felicidade, afinal, cada indivíduo interpreta-o de uma maneira. Ao contrário do que muitos pensam, incorreto seria associar tal ventura com dinheiro, pois há humildes que se contentam com tão pouco, enquanto bem-afortunados choram de insatisfação, cercados pela luxúria e vazios por dentro.

            Outra dedução incorreta é achar que a felicidade envolve apenas coisas boas, pois há aqueles que sentem prazer em causar ou presenciar o sofrimento de terceiros. Ou seja, certo ou errado, cada um encara o bom êxito de uma forma, tornando o sentimento pessoal e repleto de situações e significados.

            De fato, é complicado encontrar um padrão na complexidade do assunto. No entanto, sabe-se que ser feliz é estar em paz consigo mesmo em quaisquer situações, não dispensando a companhia de pessoas importantes para compartilhar e ampliar o sentimento.


Nome: Ana Maria L. F. Lima 2ª série do Ensino Médio

Filhos nascem dos pais, mas devem se tornar “cidadãos do mundo”

            “Não criamos filhos para nós mesmos, e sim para o mundo”. Esta é uma frase muito ouvida e que deveria servir de base para muitos pais. A proteção é importante, mas às vezes ela acaba sendo sufocante, impedindo os filhos de viverem a própria vida.

            Muitas vezes a relação familiar vira um show de marionetes, na qual os filhos são os controlados. Impedir um namoro, uma viagem com amigos ou até que eles morem sozinhos são coisas que pais muito protetores acabam fazendo. Entretanto, estes não fazem por mal, e sim por receio de que algo de ruim aconteça com os seus.

            Todos sabem que a vida não é nada fácil e que a cada decepção aprendemos algo novo. Todavia, muitos pais criam os filhos numa bolha, longe de tudo de ruim e de todo sofrimento, o que acaba fazendo um mal enorme, pois estes viveram adultos sem nenhuma base.

            Por fim, a relação entre pais e filhos poderia deixar de ser tão rígida e acabar sendo mais amigável, deixando os pequenos crescerem mais independentes para que no futuro estes sejam adultos preparados para a vida. 

 

Acesse de um dispositivo móvel:

São Gabriel
Delta Tech - Gerenciamento de Conteúdo